Suspensão de conselheiros de Pharol e Société Mondiale na Oi vai até aporte de R$ 4 bi


O juiz Fernando Viana, responsável por julgar o processo de recuperação da Oi no TJ-RJ, decidiu manter a suspensão dos direitos políticos de conselheiros e diretores da Oi ligados à Pharol e ao fundo Société Mondiale, de Nelson Tanure.

O magistrado respondeu a pedido da Oi para restaurar os direitos dos conselheiros, representantes de acionistas que já foram diluídos na sociedade após a conversão de dívida em capital social pela operadora – uma das etapas da recuperação judicial.

Segundo Viana, na sentença emitida em março deste ano, sua intenção era manter suspensos os direitos políticos não apenas até a conversão da dívida em equity, mas até o aporte de capital novo na Oi, no montante de R$ 4 bilhões.

“O aumento de capital com a diluição dos acionistas originários foi uma etapa. A segunda etapa, e de extrema relevância, é o aumento de capital com o aporte do dinheiro novo. Até que isso aconteça, a decisão de suspensão permanece inalterada”, escreve o juiz, na decisão publicada na segunda-feira (10).

Prejuízo na Pharol

Além da decisão negativa da Justiça brasileira, os acionistas da Pharol também receberam outra notícia negativa nesta semana. A companhia divulgou os resultados financeiros, com um prejuízo de € 2,8 milhões no primeiro semestre do ano, ante lucro um ano atrás.



Source link

Administrador AcessoWi-Fi.com – Gerente UnicoHost Soluções Web – Engenheiro de Redes

Julio Rossoni

Administrador AcessoWi-Fi.com - Gerente UnicoHost Soluções Web - Engenheiro de Redes

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.